Páginas

sexta-feira, 6 de julho de 2018

A Cruz, o Coração e o Amor

 Vídeo compartilhado e recebido no Facebook

Acabei de receber de uma amiga, que tenho também na mais conhecida rede social do mundo, uma animação alusiva à cruz, ao amor e ao coração. Em que temos a mensagem dizendo que o autor pensava que o coração era o ícone mais adequado para representar o amor. Mas que pensa que o formato mais adequado para isto seria a cruz.

E lhe respondi da seguinte maneira:

A cruz traduz amor e fraternidade, honra, humildade, justiça, sabedoria e salvação à vida eterna divinas. Por trás da cruz messiânica de Cristo, isso tudo deve ser considerado. E assim muito bem pensado e reconhecido.

Deus não brinca em serviço. A começar pelo respeito para com Ele mesmo. Diante do Seu projeto e Suas realizações da criação. Em que temos o ser humano à Sua imagem e semelhança. Projeta uma profunda seriedade divina em relação a nós, humanos. Por Seu Santo Nome, por Sua humilde honra, com a cruz de Cristo ninguém tem mérito para acusar a Deus de falta de amor e respeito por nós...

Todo-poderoso, Ele poderia simplesmente ter criado a humanidade para se reproduzir como bichos. E ninguém, como bicho nenhum o pode, poderia reclamar dele quanto às dificuldades da vida... Mas criou-nos diante do demônio com todas as possibilidades de vivermos eternamente ao Seu lado, no Seu Reino da Plenitude, sendo perfeitos e santos como Ele o É...

Alcançar isto é uma graça que nenhum humano consciencioso disto despreza... Gratamente... Por mais caro que possa parecer na vida passageira, o preço é muito barato na vida eterna...

terça-feira, 5 de junho de 2018

Testemunho de Episódio em Garabandal

"Garabandal: CAE RAYO en los pinos. Árbol destrozado; Vírgen INTACTA"





O episódio reverentemente narrado como testemunho importante a todos é apenas mais um em que catástrosfes naturais têm acontecido em locais onde haviam imagens da Virgem Maria ou de Jesus. Com as mesmas permanecendo intactas.

Tais fatos servem de valiosos sinais do vínculo celeste a imagens bentas, outra forma de sacramentais. Como luzes do mundo proporcionadas pela Divina Providência. Em alguns casos, como não podemos descartar, possíveis respostas de Deus a agressões do maligno a locais consagrados pela Igreja ao culto divino. Quando não apenas efeitos sobrenaturais do que a natureza por si só causou, sendo estes os casos...

Precisamos prestar atenção nisto... Devemos refletir nisto com muita atenção e criteriosa análise. Considerando toda evolução histórica de cada local contemplado com tais preservações de ícones sagrados da Família Real Celeste: Pai, Esposa Mãe ( Maria Rosa Mística investida nos Altos Céus como Rainha da Paz ), Filho e Espírito Santo...

sexta-feira, 1 de junho de 2018

Papa nomeia Visitador Apostólico para a Paróquia de Medjugorje



Cidade do Vaticano - site de notícias oficiais do Vaticano - VATICAN NEWS


"Nesta quinta-feira, 31 de maio, o Santo Padre nomeou a Dom Henryk Hoser S.A., arcebispo-bispo emérito de Varsóvia-Praga (Polônia), Visitador Apostólico de carácter especial para a paróquia de Medjugorje, por tempo indeterminado e ad nutum Sanctae Sedis.

Trata-se de um encargo exclusivamente pastoral, em continuidade com a missão de Enviado Especial da Santa Sé para a paróquia de Medjugorje, confiada a Dom Hoser em 11 de fevereiro de 2017 e por ele concluída nos últimos meses.

A missão do Visitador Apostólico tem por finalidade assegurar um acompanhamento estável e contínuo da comunidade paroquial de Medjugorje e dos fiéis que para lá se dirigem em peregrinação e cujas necessidades requerem uma particular atenção.

A missão do Visitador Apostólico tem por finalidade assegurar um acompanhamento estável e contínuo da comunidade paroquial de Medjugorje e dos fiéis que para lá se dirigem em peregrinação e cujas necessidades requerem uma particular atenção."

quinta-feira, 31 de maio de 2018

"Eleições à vista...!" E...

O mês de Maio foi para mim em particular de extraordinária condição. Tive que articular-me para sanar imprevistos inadiáveis e inegociáveis. Entretanto sendo relativamente bem sucedido, apesar das dificuldades conjunturais e histórica que têm afetado a mim e também o Brasil...

Sobre o Brasil, de todos os brasileiros, tenho, não somente eu, assistido e ouvido expressões as mais diversas sobre nossa realidade governamental e política. Com menções particulares e progagações alusivas às próximas Eleições! Umas sobre em não votar mesmo à custa de pagamento de multas, outras em anular os votos, e outras ainda, como a recente paralisação dos caminhoneiros, em parar tudo em nome de exonerações, intervenção militar e reformas de vários enfoques...

Considerei também meu histórico pessoal de atuação institucional administrativa e político-partidária. Pelo que toda conjuntura impõe a cada cidadão considerar o que poderia fazer para contribuir a soluções de melhoria necessária no âmbito dos seus potenciais. Naturalmente refletindo também numa possível viabilidade de disponibilizar-me a uma eventual pré-candidatura. Há anos, progressivamente recebo mensagens de norte a sul e leste a oeste do País partilhando opiniões e realidades de ordem econômica e moral e cívica. Do que denota-se um reconhecimento sobre certo potencial pessoal de promover soluções de interesse público. Inclusive associadas a eleições, ao menos no que o bom senso poderia sugerir considerável...

Analisando tudo, em que pese a fraca qualidade de respostas institucionais e populares ao que já apresentei dirigida ou publicamente, acabei chegando à análise de uma viabilização de uma candidatura através de uma pré-candidatura promovida pelo mecanismo da Vaquinha Eleitoral. Com empreendimentos e serviços profissionais sendo apenas moralmente prestigiados, isto afetando minha condição socioeconômica também para articular democracia, somente com doações independentes poderia dispor de recursos para propor meu nome como candidato numa Convenção Partidária e realizar uma campanha eleitoral a bem.

Pensei e repensei o assunto, e cheguei à conclusão de que, pela simples razão de até agora ter recebido somente apoio moral e "de beirada", mesmo com captação financeira que alcançasse os limites orçamentários para gastos de uma candidatura federal, não devo pensar numa candidatura a mandato individual. Ao menos desta natureza. Não disponho de um grupo de amigos politicamente integrados a mim, com o que poderia escolher componentes de uma equipe de assessores sociologicamente abonados para apresentar-me coerentemente como um candidado ao eleitorado de modo geral... Por mais que eu possa ser considerado politicamente valioso para administrar o País ou defender seus interesses numa investidura ou em outra... O oportunismo não sustenta a bem...

Diante de expressões populares de insatisfação com a realidade de escândalos e ineficácia administrativa e política atuais no Brasil, protestar não resolve. Votar nulo, muito menos. Mas fazer o melhor possível, com inteligência e responsabilidade moral e cívica, econômica e política em todos os aspectos relacionados aos valores pelos quais temos nossas mais valiosas tradições. Mas mobilizar esclarecidamente o que está ao alcance de cada um, sem quaisquer marginalismos ou sensacionalismos, para substituir gestores de má reputação: mandatários com desempenhos e discursos aberrantes ou demagógicos que expressam suas posições ao povo como se o povo não tivesse discernimento ou tampouco sensibilidade ao absurdo evidente.

Enquanto formos um povo que é viciado em acomodar-se na mídia tradicional e escorar-se exclusivamente no Governo, em detrimento do que mais existe de bom valor, somente em função dos mesmos temos condição de pensar num futuro melhor. O que requer jamais anulação do peso que o eleitorado tem com seu voto. Somente sendo compreensível o voto nulo em caso de inexistência de candidatos que efetivamente justifiquem o crédito de confiança e respeito do povo.

A partir do momento em que contarmos com algo mais além do acima mencionado, então teremos mais independência de resultados eleitorais e de conteúdo provocativo, desrespeitoso, tendencioso ou viciado de uma mídia que não raro abusa da condição porque atua num país de maioria assalariada e pobre. Financeira e educacionalmente. De boa fé ignorante e irresponsavelmente explorada. Sem juízo manobrada...

segunda-feira, 30 de abril de 2018

Presença de Abril...!

Este mês foi especialmente rico em diversidade de atividades e produções para mim. Em diversas e gratificantes áreas! De forma interessante ao ponto de fazer com que eu ficasse impressionado ou bem pensativo sobre tanta diversidade de produções com bons resultados. Em diferentes áreas de ciência, gestão ou tecnologia! Pensei "até" nas próximas eleições!!! Em que nós, no Brasil, temos Diretas já há algumas décadas, e nem por isto tivemos, com isto, garantias de Governos que não nos decepcionassem...!

E isto restringiu meu tempo para escrever um texto estimativamente valioso para este espaço. A bem dizer, várias vezes considerado. Sobre assuntos conjunturais, como economia, política e sociedade civil. 

Assim chegando ao final do mês, focado em temas como os das áreas acima mencionadas para alguma abordagem útil, partilho aqui algumas frases publicadas nas minhas principais redes sociais:




 Uísque numa Forma Inteligente
Cowboy ou Ao Gelo
Algumas vezes é Saboroso...!





Bem, tenha certeza de que estou atento ao que é importante para nós! E, se sou mesmo um formador de opinião, espero que quem isto mencionou há um bom tempo, e seus pares de conceito, considere o que eu publico e realizo como referência ao que de bom fazer! Naturalmente, para melhor vivermos e fazermos viver! Inclusive com os meus projetos! Se você "se liga na Globo", por que não se ligar também na T.S. SAL?!

sábado, 31 de março de 2018

31 de Março de 2018

Hoje, se ainda estivesse em vigor, os brasileiros estariam vivenciando 54 anos do Golpe de Estado de 1964. E suas oficiais condições governamentais. Que, segundo o divulgado durante o referido regime de exceção, tinha como objetivo estratégico promover a gradativa democratização política e administrativa do Brasil.

Em 2018 contamos também 33 anos de retomada do Poder Executivo pela sociedade civil, através das eleições que culminaram na posse de José Sarney em substituição a Tancredo Neves. Lamentavelmente falecido às vésperas de assumir a Presidência da República.

Durante o regime de exceção, o Brasil viveu uma condição de orçamento público subsidiado por financiamentos internacionais ao desenvolvimento, um período do chamado "milagre econômico", e notórios progressos em diversas áreas de infraestrutura socioeconômica. Dentre elas: Agropecuária, Educação, Indústria, Saúde e Transportes. E também problemas relacionados à gestão e vivência da ordem política e social ao exercício democrático do estado de direito por excelência. Alguns dos quais gravemente danosos à cidadania e à integridade da família. Pesarosas perdas, algumas das quais irreparáveis, independentes de quaisquer explicações que se possam tentar dar para os fatos de gestão pública ou de interesse público exercidos por atores privados que as geraram. É essencial que se reconheça muito bem isto.

Se "à noite, todos os gatos são pardos", todas e quaisquer ações assemelhadas ao que se faz nos chamados subterrâneos do Poder se confundem com o Governo oficialmente mantido. Não foram somente lideranças do regime as que causaram danos. Entretanto, certo é que muitas das que se conhece, em alguns casos, pareciam lideranças populares sem vínculos com estratégias de Governo. Mas surpreendentemente tiveram expressiva atuação ou como subrrepticiamente ligadas ao mesmo, ou como ambíguas ou dementes expressões de mal definidos marginais. Amorais, inconsequentes e oportunistas. Verdadeiras demências em cínico nome dos direitos humanos, com péssimos exemplos de desempenho moral e cívico. À margem de Partidos Políticos e sem firmes posições quanto ao seu caráter de gestão de ideologias e responsabilidades pessoais. No que tange aos direitos privados e também ao público.

Isto foi um prato cheio para que alguns dos gestores do regime pudessem, aproveitando as confusões causadas pelos incautos, pudessem manobrar a sociedade em entendimentos que objetivamente poderiam ter gerado bons frutos e impedido ruins. Estúpidos e jocosos. Uma realidade, a bem saber, de um país "em desenvolvimento", com precariedades de educação social e formação profissional ponderada. Que, quando não casualmente refletindo fragilidades e má fé, explica imperícias e inconsistências que feriram a família e a sociedade brasileiras em seu cerne de valores culturais e ordem econômica e social. A corrupção, o desmando, o furto, o roubo e a sabotagem de modo geral não foram causados somente pela ação expressa do Estado. E do Estado quando este tendo à frente agentes, quando não limitados somente em caráter, formação e sensibilidades individuais e sociopolíticas, também sujeitos a pressões contextuais. O que tornou mais importante ainda a responsabilidade dos gestores públicos efetivamente da elite ideológica do regime. No que tange ao que foram responsáveis por desvios, improbidades e ineficácias administrativas...

Com a recuperação do Governo pela sociedade civil, antes aos brados por eleições diretas, acusações de obediência ao Banco Mundial ou ao FMI, gestão não democrática ou ruim, entre outras expressões de reinvidicação do estado democrático de direito, tivemos períodos alternados de qualidade de Governo e Estado. Em seus primeiros idos iniciados com posturas que a muitos de nós, "brasileiros e brasileiras", soaram frágeis e ignóbeis para com o que efetivamente vivíamos. Do que foi mantido progressivamente um ambiente de insegurança política expressivo quanto à eficácia e importância institucional do Estado e do direito público.

Discursos eloquentes, projetos mal feitos, promessas não cumpridas, qualidade questionável, resultados ridículos... Entre o que, além de fugas do trato da coisa política e social, por parte de gestores e mandatários das diversas instâncias dos Três Poderes, temos menções a projetos de ferrovias com bitolas obsoletas para os tempos contemporâneos, e projetos megalomaníacos envolvendo bilhões orçamentários que até hoje não alcançaram objetivos apregoados populistamente. E uma estrutura de serviços públicos deficiente, ineficaz e inspiradora de profundas preocupações a todos os que dependem deles. Ou que podem precisar deles a qualquer momento. Tudo divulgado pelos meios noticiosos. Em que hoje temos também as redes sociais, importantes recursos de comunicação democrática diante de deficiências ou tendenciosismos por parte da Imprensa. Em alguns casos específicos e gritantes em que sua participação foi adequada, democrática e habilmente solicitada... Outro prato cheio para gestores públicos duvidosos ou questionáveis a bem...

Estamos hoje como estamos, na iminência de um novo processo eleitoral. Com limitações de caráter político e social. E com um prestígio internacional bem aquém do que inspirou créditos ao desenvolvimento durante o regime de exceção. Subsidiado por grandes economicas mundiais, que hoje não têm tanto conforto como antes para confiar a nós o seu suporte de financiamento ao desenvolvimento.

É questão de bom senso à boa ordem das coisas nos conduzirmos respeitavelmente para não sofrermos o horror ou o terror que prevalecem sobre os covardes, os desleixados, os displicentes, enfim, os que brincam com a vida... Sim, a bem lembrar, há muito não temos a disciplina de Ordem Social e Política do Brasil integrando nossas grades curriculares como antes salutarmente o tínhamos... Como que somente importa a Governo construir estradas, pontes e redes de eletricidade e telecomunicação...


sábado, 17 de março de 2018

Engodo na Renovação da CNH no Brasil

O Governo do Brasil, através do seu DENATRAN, trouxe mais uma "novidade" para as preocupações com qualidade e segurança no trânsito: obrigatoriedade de novos cursos de qualificação para condutores de veículos automotores... 

Mais um absurdo que, no mínimo, atestaria que os cursos de formação qualificativa para condução de veículos automotores, nas suas premissas para a primeira habilitação de cada uma das categorias de condutores, não valeriam nada... Uma confissão de que os exames preparatórios para habilitação de condutores não satisfazem. Uma verdadeira piada... Caso em que, não deveria sequer haver a expedição da primeira habilitação...

Mais um ridículo engodo governamental brasileiro... Com ridículas leis penalizadoras e medidas de fiscalização piores ainda... É isto o que temos projetado até mesmo nas mais precárias mentes de nosso povo. Senão do mundo inteiro... A propósito, como os demais países do mundo passam a nos ver também a partir desta condição que, creio poder dizer, é mais uma aberração de gestão pública que os brasileiro têm?

Vejo a presente medida como mais um grave desrespeito ao povo brasileiro, "uma encheção de linguiça", uma "mostração de serviço" sem fundamento. Sem graça e revelando inépcia e negligência governamental ao que o Estado deveria ser eficaz... Uma imoralidade moral e cívica. Uma brincadeira com a nossa cara...