Páginas

quarta-feira, 18 de maio de 2016

De Estado, Governo e Povo

Toda atribuição, haver e responsabilidade de Estado é também competência política geral de Governo. Mas nem todo haver de Governo é de competência do Estado. Mas o de desempenho de toda pessoa investida em ambos é sujeito à competência do povo. Isto é valioso especialmente em assuntos de caráter moral e cívico, político-administrativos e acessórios.

Com isto, temos que, quando os investidos em funções temporárias, o Governo assim tecnicamente discriminado, são convidados ou requeridos a prestar atenção a assuntos de desempenho do Estado, quer por ele quer por cidadãos reclamando seu bom desempenho, não tem o direito de se omitir. Sob alegação de que gestão de Estado não lhe compete.

Gestão de Governo envolve Estado, gestão de Estado não necessariamente envolve gestão de responsabilidades temporárias de Governo. Ao que, quando o Governo, investido pelos seus valores ideológicos e políticos, é requerido a examinar com o cidadão o que é a ele apresentado, tem obrigação moral e cívica de examinar a bom termo. E promover toda solução pertinente ao esclarecimento de dúvidas e promoção de soluções necessárias. Para ordem e segurança institucional geral. Econômica, política e social. Quando não o faz, incorre na omissão. Seja qual for a explicação: ausência de compromisso com o que é de interesse, brincadeira, conluio ou cumplicidade, ignorância, insegurança institucional ou pessoal, negligência expressa ou qualquer outra.

Portanto, jamais gestores de Governo têm o direito de omissão ao exame de coisas de Estado que lhe são requeridas conhecer e devidamente tratar. Cabendo ao povo, de modo adequado, geral e qualificado,  o exercício da responsabilidade no interesse próprio a que Governo e Estado, a máquina administrativa permanente assim também conhecida, desempenhem suas atribuições com lisura e satisfatoriamente ao que lhes é imputado por proventos e responsabilidades de natureza pública.

  

sexta-feira, 13 de maio de 2016

Um Pouco Cultural de Uma Banda de Rock

Um pouco de história cultural de uma banda de rock autora do disco Sabotage (Sabotagem).

Na matéria do Whiplash.Net  Black Sabbath: a história por trás de "Sabotage", temos relatos de uma série de contextos com enfoques analíticos de realidades críticas. Interessante e útil como referência.

Se quiser conhecer as músicas do disco, uma boa pedida é começar pela número um, "Hole in the Sky". No YouTube, após esta surge a excelente "Thrill of it All".

Não use drogas, mesmo que os efeitos depressivos possam fazer com que você possa finalmente, após algum tempo de desgaste e afunilamento psíquico natural, colher de suas raízes educacionais o que faria, então por caminhos tortos, você "se sentir religioso", como projetado na reportagem! Nunca precisei, e nunca precisarei, mais que vontade de paz e santa fé para rezar...! Graça, bem, sabedoria, paz e vida em plenitude! E música! Porque "que canta reza duas vezes"...!

Mas, por que será que mais uma vez lembrei do "Sabotage", hein...?!

quinta-feira, 12 de maio de 2016

Ao Bel Prazer do Estado, Jamais!

Tem gente querendo que eu publique que eu jamais estive incondicionalmente à disposição do Governo do Brasil, para o que quer que seus gestores pudessem ter interesse... Talvez por um interesse de lobby explorando minhas condições e ou qualificações... Talvez por necessidade de que isto seja mostrado.

Não importando qual a razão, ou insanidade deste estímulo passível de ser classificado como gracinha de vagabundos ou estupidez de pilantras de porões da comunicação contemporânea, esta por eles cogitada, considerada ou reconhecida realidade atual e restrospectiva não é prioridade minha ao conhecimento público! Porões estes, surdinas estas, passíveis de localização nas estruturas da máquina administrativa federal, de entidades dotadas de poder cibernético ou comunicativo aos autores útil, ou de grupos clandestinos do submundo sociológico dos marginais! Mas é mesmo verdade! Não custa expressar! 

Nunca estive sujeito ao Governo Federal do Brasil, e muito menos a estaduais, além do que todo cidadão o foi pela ordem constitucional estabelecida! Ou pelo que as normas administrativas pertinentes ao serviço público federal alcançavam a integrantes do quadro de pessoal regular. Não extraordinariamente alcançado, por exemplo, por regulamentos especialmente aplicados a servidores públicos compromissados com atividades de espionagem, informações estratégicas, de segurança pública ou segredo de Estado. E jamais coloquei-me à disposição do Governo Federal para que o mesmo a seu exclusivo critério pudesse determinar meus prumos ou meus rumos! Somente admitindo uma condição análoga em condições de extrema necessidade estratégica nacional. Em casos de calamidade pública ou guerra, por exemplo. Mas sem jamais ficar entregue à regência arbitrária e impositiva em que a livre negociação e o consenso de responsabilidades compartilhadas não pudessem se dar a respeitoso termo!

Naturalmente, numa apenas matematicamente considerável possibilidade de ver-me sujeito a um regime totalitário em que o Estado tudo determina quando ao que os cidadãos podem realizar, a sujeição relativa seria contingenciamente uma imposição. Mas jamais uma opção. 

O Brasil tem hoje um regime republicano de livre arbítrio e livre iniciativa. Assim como a grande maioria dos países capitalistas. Mas devemos considerar que o termo República não implica em necessariamente esta livre condição. Como referência que temos, por exemplo, da antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas ou da República Popular da China. O que aqui lembro pelo que este termo tem sido ultimamente com certa frequência mencionado em pronunciamentos políticos brasileiros. República pode ser um regime livre ou não. E é bom que isto fique muito bem compreendido. Não nos iludamos com discursos bonitos sobre isto. Em especial pelo que nos apresentam políticos de bandeira socialista.


domingo, 8 de maio de 2016

Felicidades às Mães!

Hoje almocei fora a bem de um evento institucional, depois de um Sábado extraordinariamente intenso em ocupações profissionais. Do que tenho esperança bons frutos sejam colhidos! E assim somente agora pude ater-me a confraternização com as mães neste espaço! Após alguns afazeres domésticos e sociais também extraordinários! Por conta da colheita de Noni em dia de Domingo justificada pelo bem que poderia ser feito a outrem, e dos riscos de perda potencial dos proveitos de tão rica fruta!

Partilho assim agora meus votos de felicidades a você que me prestigia com sua atenção! Ao par do que expressei nas redes sociais no início da manhã, antes de sair para o almoço!

Como é bom e confortante começar o dia em oração, confraternizando com a Família Real Celeste e todos os que Lhes são mais próximos! Bom pra Alma, pra saúde e pra salvação!
 
Feliz Domingo Dia das Mães! A você, seus amados familiais e próximos bons amigos! E a todas as suas relacionadas mães! Alegremo-nos no Senhor!