Páginas

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Música e Bem, Música e Mal...

A música pode fazer bem, mas também o mal.

Diversas vezes ouvindo sequências de músicas de diferentes intérpretes ou autores, venho notando que, a partir do momento em que temos algumas especificamente apresentadas, temos também como que uma invasão de maus pensamentos. Como um bombardeio de ideias ruins e sentimentos de revolta intensa projetando defeitos ou más lembranças de pessoas que conhecemos ou das quais temos infelizes lembranças. Pessoas do nosso círculo de amizade ou mesmo familial. Das quais conhecemos atitudes ignorantes, inocentemente praticadas ou essencialmente desprovidas de maturidade. Atitudes até mesmo classificáveis como rídiculas ou surpreendemente espantosas para nós, por parte de quem jamais poderíamos esperá-las... Atitude que nos mostraram uma grande distância entre nós e pessoas próximas e queridas que conosco conviveram cotidianamente. Mas que, pela falta de diálogo e intercâmbio de experiências, de partilha de vida e solidariedades interpessoais que nos levariam ao mútuo e promissor reconhecimento de condições, interesses ou potenciais, então descobrimos que não conhecíamos a bem. O que então proporciona, além dos sentimentos dados pela surpresa mencionada, também num íntimo sentimento de pesar ou tristeza...

Tudo por causa de músicas que nos conduzem a lembrar destes fatos negativos ou pobres associados a nossas relações sociais...

Aos bons observadores, entretanto, isto passa a ser referência de grave perigo. E até mesmo de que este perigo pode estar associado à ação deliberada do demônio. Interessado em fomentar a desunião, a discórdia, as más lembranças e os maus sentimentos. Interessado em nos conduzir a dispersão e rude repúdio por quem temos arraigadas identidades e pares vínculos ao que nossos mais nobres interesses justificam não a aversão, mas o amor edificante...

Notamos também que, especialmente uma vez estimando os efeitos incômodos e maléficos de tais músicas, ao interrompermos suas audições simplesmente, e de imediato, tais ideias e lembranças ruins, juntamente com todas as expressões de crítica e revolta, param instantaneamente... Como que se dando a conclusão de um ritual de exorcismo em que o demônio é finalmente expulso da pessoa possessa e a abandona deixando-a em paz integral... Impressionante realidade...!

Assim, refletindo sobre esta realidade nua e crua, achei por bem partilhar com a sociedade e meus cotumazes leitores. "Ai de quem não procurar a sabedoria. (...) Ai de quem não propagar a sabedoria. (...) Ai do tímido." (Bíblia Sagrada)

Portanto, prezada leitora, prezado leitor, prestemos atenção sempre nas nossas reações e nos nossos pensamentos dados ao ouvirmos música. Em todos os ambientes, ao vivo ou reproduzidas... Música ruim é como companhia ruim: ao contrário das boas, traz o mal. E pode trazer o mal de forma expressamente planejada pelo maligno desde a sua composição. Até a nossa audição e a nossa reação. Provocando danos tão graves e profundos quanto a dissolução dos nossos mais valiosos laços de amor e capacidade de viver e fazer viver bem...


Nenhum comentário: