Páginas

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DIABETES – Uma Revolução Mundial no Tratamento

ATENÇÃO: Conforme divulgado pela Imprensa brasileira no dia 28/01/2010, o Conselho Regional de Medicina proibiu a realização das cirurgias neste artigo mencionadas. Até que haja pronunciamento de organismos médicos que as endossem como procedimentos não experimentais. Apesar de centenas de pacientes tratados há anos com esta técnica estarem apresentando excelentes resultados em conforto pessoal e condição de saúde concernente.

TEXTO ORIGINAL DESTE ARTIGO:

Através de um dos meus correspondentes virtuais, tomei conhecimento de uma extraordinária técnica para o tratamento do Diabetes. Desenvolvida por um Médico brasileiro, cada vez mais reconhecida como uma verdadeira revolução na Medicina. Denominada Freio Neuroendócrino no Tratamento do Diabetes, foi desenvolvida pelo cirurgião Áureo Ludovico De Paula, 47 anos, e é feita por laparoscopia (através de pequenas incisões).

As estatísticas demonstram que 41% dos pacientes submetidos a ela ficam curados após o primeiro mês. 55% obtiveram a cura após doze meses. Proporcionando ausência de sequelas e melhoria do estado geral de saúde dos pacientes, como índices de glicose e pressão arterial, e a normalização dos níveis de colesterol. Além da minimização das expectativas negativas projetadas aos diabéticos, relacionadas a desequilíbrios hormonais e irregularidades cardíacas.

Segundo eminentes colegas de profissão, Áureo Ludovico De Paula, gastroenterologista goiano, pode por sua inovação acabar contemplado com o Prêmio Nobel de Medicina. Consideram que, que se a técnica comprovar sua eficácia a longo prazo, se depois de dez anos os pacientes continuarem com o níveis regularizados, o método se confirmará tão eficaz que afetará a segunda maior indústria do mundo, a dos medicamentos contra o Diabetes. Cujos métodos não curam, mas apenas favorecem ao convívio paliativo com o problema.

De 2003 para cá, ele já operou centenas de pacientes. Alguns já estão curados. Outros estão em franco processo de cura. Só o Dr. Áureo faz esse procedimento no Brasil. Ele opera em Goiânia, no Hospital de Especialidades, e em São Paulo no Albert Einstein. Nos próximos dias começará a operar também no Mount Sinai, em Nova York. No mundo a cirurgia é feita na Índia e em Milão (Itália) e está sendo implantada nos Estados Unidos. O detalhe, os cirurgiões que operam na Índia e na Itália foram treinados com ele.

O Dr. Áureo diz que enfrenta dificuldades na divulgação do procedimento justamente pelo ineditismo. E revela que está enfrentando dificuldades em muitos lugares. Tanto pelo ineditismo, quanto pela existência de interesses adversos viciados nos processos tradicionalmente conhecidos, em que apenas 30% dos tratados à base de dietas, exercícios e medicamentos conseguem conviver com o Diabetes de forma eficaz. Com dispêndios, cada um, de cerca de R$1.000,00-mês em média. O que representa um movimento de faturamento financeiro multimilionário em âmbito mundial. A afirmação de sua técnica, com certeza, afetará a renda regular atual de milhares e milhares ou milhões de profissionais. Que naturalmente deverão adaptar-se a esta nova realidade. Milhões de pessoas atualmente são economicamente pouco produtivas e morrem mais cedo por causa do Diabetes. Dispondo de “verdadeiras farmácias” domésticas.

Nisto tudo, temos eminentes personalidades dos mais diversos setores da cultura, economia e política já favorecidas pela nova forma de tratamento. Reconhecedores de evidentes benefícios. Centenas deles, no Brasil e no exterior. O que faz com que a importante inovação seja praticamente irreversível em seu processo de adoção na humanidade. Somente uma questão de tempo. Com isto, indústria e profissionais atualmente relacionados aos processos de tratamento convencionais deverão adaptar-se a esta nova realidade terapêutica. Em que certamente um novo mercado surgirá em decorrência das atividades econômicas dos milhões de pacientes regenerados pela nova técnica. Que, por exemplo, passarão a representar uma significativa parcela de consumidores normais de alimentos açucarados. A normalização socioeconômica concernente será apenas uma questão de dinâmica, saúde e tempo.

Saúde! E congratulações ao Dr. Áureo e a todos os profissionais cientistas que realmente buscam o desenvolvimento eficaz das nossas condições de vida. “Ai de quem não procurar a sabedoria.” “Ai de quem não apregoar a sabedoria.” “Ai do tímido.” “Procurai as ciências e a sabedoria.”